CHICO SANTOS. Vo, 2019

Escultura em mármore, resina, pigmento e mecanismo sonoro/eletrônico fotossensível.

#premio co Arts on the Streets 2019 

 

Um grande e estranho fungo foi depositado aqui. Deste lugar, ele observa o Jardim Botânico, como se pedisse emprestada a paisagem para si. Seu nome Vo significa, na língua dos índios Kaingang, “barulho de andar no mato, coração batendo”. Está aqui para dialogar com esse jardim tanto quanto promover o diálogo do público com ele.
 

 Ao tomar a paisagem como elemento de sua existência, Vo convida o público a estabelecer vínculos possíveis, observar similaridades e dissonâncias com o jardim para que, ao final, sua relação com este espaço também se amplie. O significado do título potencializa essa relação. O Jardim Botânico apresenta belas trilhas, convida à caminhada, à atenção ao som do farfalhar das árvores, às texturas visuais formadas pelos conjuntos de plantas, aos cheiros que só podemos encontrar em ambientes como este.
 

 Vo guarda um segredo muito especial: ele sabe conversar com as plantas. Se prestar atenção, talvez você tenha sorte de ouvir o modo pelo qual ele fala! Há algumas décadas cientistas e outros pesquisadores começaram a investigar se plantas conseguem se comunicar e, tiveram resultados surpreendentes. É o caso de Monica Gagliano, da Universidade da Austrália Ocidental, do engenheiro florestal alemão Peter Wohlleben, do estadunidense Cleve Backster, autor de A vida secreta das plantas, e tantos outros pesquisadores que têm compreendido que plantas e florestas inteiras são organismos dotados de capacidades que há cem anos atrás não conceberíamos como algo verdadeiro.
 

 Vo também é uma peça de arte, produzida por Chico Santos. Poderíamos dizer que se trata de uma escultura, ou então de Mídia Arte, ou até mesmo dizer que esse grande aglomerado de pequenos prédios não se parece com um fungo! Neste caso, caminhe em volta de Vo, fique atento à sua voz então caminhe pelas trilhas. Percepção requer envolvimento e, esta obra artística e o Jardim Botânico estão repletos de possibilidades.

                                               Texto Wesley Stutz

Texto
Wesley Stutz


Agradecimentos:
Marcio Sandoval
Carlos Hirata

Rodrigo Marquez

Marcelo Armani
Equipe Jardim Botânico
Secretaria Municipal de Cultura